O COVID-19, novo coronavírus, chegou ao Brasil e não se fala em outra coisa. É preciso cuidados severos no combate a essa doença. Por isso, para te ajudar, neste texto você vai entender melhor o que é, como é transmitido, como evitar e quais são os sintomas do coronavírus. Vamos lá?

O que é coronavírus?

Mas, afinal, o que é coronavírus? Ele vem de uma família de vírus conhecida desde 1960, que causa infecção respiratória. Até 2019, muita gente era infectada por versões mais comuns dele, chamadas de Alpha coronavírus e Beta coronavírus.

Entre 2002 e 2012, as versões anteriores do vírus — Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio) — começaram a circular. A partir do dia 31/12/19 foi registrado na China um novo tipo desse vírus, a mutação que hoje chamamos de COVID-19.

Até então não se sabe ao certo o que causou essa mutação do vírus. Mas sabe-se que as variações mais antigas chegaram até os humanos por contato com gatos (caso da versão Sars) e dromedários — camelos — (caso da versão Mers).

No caso da primeira transmissão aos humanos, não se sabe ao certo, mas o médico completa dizendo que algumas pesquisas apontam para animais marinhos, cobras ou morcegos.

Como acontece a transmissão do coronavírus

As atuais pesquisas apontam que tudo começou com o contato de animais para humanos e, depois, de humano para humano. Porém, por ser uma nova mutação do vírus, sua capacidade de transmissão ainda não está muito bem definida para os cientistas.

A transmissão de pessoa para pessoa acontece por gotículas respiratórias ou contato físico. “Qualquer pessoa que fique muito próxima, mais ou menos 1 metro de distância de alguém que esteja infectado, está correndo o risco de se infectar também”, afirma o Dr. Felipe Folco.

Por gotículas respiratórias estão inclusos espirros, saliva expelida durante a fala, tosse, contato com superfícies contaminadas e, claro, o contato físico com pessoas contaminadas.

Sintomas do coronavírus

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os sintomas do coronavírus mais conhecidos até o momento são:

  • Febre;
  • Tosse seca ou com catarro espesso (segundo dados compilados pela OMS ao avaliar 55 mil casos, 68% dos infectados apresentaram tosse seca, enquanto outros 33% apresentam tosse com catarro);
  • Dificuldade para respirar;
  • Coriza;
  • Congestão nasal;
  • Dor de garganta,
  • Diarreia.

Dentre os sintomas do coronavírus ocorridos em menos de 20% dos infectados estão as dores nas articulações, dores de cabeça, arrepios, tosse com sangue e olhos inchados. Todos esses sintomas costumam aparecer leves e vão evoluindo aos poucos.

Na hora de medir a temperatura, o Dr. Felipe Folco diz que “é importante lembrar que ela pode variar de acordo com o sexo e a idade. A temperatura interna normal do corpo é entre 36,5°C e 37,5°C, mas ela pode variar também de acordo com o momento do dia, ambiente e parte do corpo em que é medida”.

Os sintomas do coronavírus aparecem, em média, após 5 dias de ocorrida a infecção. A fase contagiosa (onde a pessoa pode transmitir para outra) leva cerca de duas semanas.

O que fazer caso você ou alguém próximo apresente os sintomas

Especialistas afirmam que grande parte dos infectados apresentam apenas um quadro leve da doença, e outras não apresentam sintoma algum. Porém, ela pode ser fatal para pessoas a partir de 60 anos ou com doenças pré-existentes, como asma e diabetes.

A recomendação da Secretaria de Estado da Saúde é que os hospitais sejam procurados apenas em casos graves, como falta de ar. Se a pessoa tiver acesso a clínicas e consultórios particulares, ela pode ir caso apresente outros sintomas ou sintomas mais leves.

Ainda referente aos sintomas, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu que a pessoa procure um médico depois de febre persistente após 24 horas (ou se a febre desaparecer e reaparecer em dois dias), desconforto respiratório, ou se tiver tido contato com pessoas que viajaram para países infectados nas últimas duas semanas.

Como evitar o coronavírus

Para se proteger contra o novo coronavírus é preciso seguir as seguintes recomendações.

  • Lave as mãos com água e sabão frequentemente;
  • Higienize as mãos sempre que possível com álcool gel;
  • Evite tocar olhos, nariz e boca (mesmo com mãos limpas);
  • Utilize lenço descartável para higiene nasal;
  • Cubra o nariz e a boca quando espirrar ou tossir;
  • Limpe as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal;
  • Mantenha os ambientes bem ventilados;
  • Limpe regularmente o ambiente e superfícies comuns, como móveis e maçanetas (use álcool 70% ou água sanitária);
  • Evite contato físico com pessoas com sintomas de gripe;
  • Evite aglomerações;
  • Lave bem os alimentos antes do consumo;
  • Alimente-se bem e beba muita água para manter sua imunidade alta,
  • Vacine-se contra a gripe todos os anos.

Além disso, recomenda-se a quarentena. Se você não sabe o que é quarentena, continue lendo.

O que é quarentena e por que fazer

Quarentena é quando pessoas que ainda não estão infectadas por uma doença ficam reclusas para evitar que a doença se espalhe e elas sejam infectadas.

A quarentena, ou isolamento, é recomendada quando a pessoa voltou de viagem ao exterior ou apresenta os sintomas do coronavírus. No entanto, para evitar que a doença se alastre, no caso do coronavírus no Brasil, está recomendado que as pessoas fiquem o máximo possível em casa, mesmo sem apresentar sintomas.

A prática é importante para diminuir a taxa de infecção por COVID-19. Assim os hospitais terão espaço, suprimentos e médicos para todos os pacientes que precisarem de cuidados. Essa é uma forma de retardar o pico da epidemia, o que chamam de “achatar a curva”.

Quem apresenta sintomas leves deve, fundamentalmente, ficar em casa, evitar contato com outras pessoas e — caso extrema necessidade — sair de casa com máscara de proteção para, caso esteja com o vírus, não transmitir para outras pessoas.

Exames para identificação do coronavírus

Os exames para detectar o COVID-19 são feitos pela coleta de materiais respiratórios. O indicado é que sejam feitos apenas por pessoas com um quadro clínico sintomático, com severas alterações respiratórias.

Em caso de testes no modo particular, com essa crise da doença, surgiram no momento grupos laboratoriais particulares que fazem atendimento domiciliar para realização do teste com ou sem encaminhamento médico.

Abaixo separamos uma lista com alguns laboratórios que fazem esse serviço:

  • Laboratório Hermes Pardini – Exame realizado somente com pedido médico e em coleta domiciliar, por R$ 250,00. Ligue no (11) 2799-9311 para informações.
  • Laboratório Lavoisier – Exame realizado somente com pedido médico e em coleta domiciliar, por R$ 280,00. Ligue no (11) 3047-4488 para informações.
  • Laboratório CDB – Exame realizado somente com pedido médico e em coleta domiciliar, por volta de R$ 250,00. Ligue no (11) 5908-7222 para informações.
  • Laboratório Labi Exames – Exame realizado sem necessidade de pedido médico e em coleta domiciliar, por volta de R$ 200,00. Para pacientes com 80 anos ou mais, a Labi está oferecendo o exame gratuitamente. Ligue no (11) 3003-2086 para informações.

Esperamos que saber tudo sobre o coronavírus seja útil pra você e quem você ama. A Comigo Saúde está com você nessa luta contra o coronavírus e recomenda que você siga todas as orientações dadas pela Organização Mundial da Saúde.