De acordo com o mais recente relatório do Ministério da Saúde, o número de casos de hepatite no Brasil diminuiu 7% nos últimos 10 anos. Mas isso não quer dizer, necessariamente, que a doença deixou de ser um problema nacional de saúde.

Você sabia que existem sete tipos de hepatite e que a doença é chamada de “a doença silenciosa”? Isso porque seus sintomas, além de demorarem para aparecer, são bastante comuns e fáceis de serem confundidos com outras doenças.

Entender o que é hepatite não é suficiente para estar livre da doença. Por isso, neste texto, você será ajudado Dr. Felipe Folco a identificar os sinais de alerta.

Tipos de hepatite

A hepatite nada mais é do que uma inflamação no fígado que pode ocasionar diferentes sintomas e ser causada por mais de um motivo. A seguir, saiba mais sobre as características e causas de cada um dos sete tipos dessa doença:

Hepatite A

Esse tipo de hepatite acontece por transmissão, ou seja, contágio causado por um vírus chamado vírus A (ou VHA) e afeta principalmente crianças. Entre as formas de transmissão, estão: o consumo de alimentos ou água contaminada pelo vírus e relação sexual sem proteção com pessoas infectadas.

Hepatite B

É um tipo de hepatite infecciosa causada pelo vírus B (HBV) e transmitida para um bebê pelo esperma do pai ou leite da mãe; relações sexuais desprotegidas ou compartilhamento de objetos cortantes, como agulhas, lâminas de barbear e alicates.

Hepatite C

Causada pelo vírus C (HCV), a hepatite C também é passada pelo sangue e é a forma mais perigosa da doença. Ela é transmitida por: uso de materiais que contêm fluidos corporais dos seus usuários, como seringa e objetos de higiene pessoal, sexo sem proteção e também de mãe para filho — quando esta já possuía a doença.

Hepatite D

A hepatite D se origina do vírus D (VHD) e é um tipo de hepatite um pouco mais rara, pois, para infectar alguém, a pessoa deve estar também com o vírus da hepatite tipo B.

Ela é transmitida por relações sexuais sem proteção; de mãe para filho durante gravidez, parto ou amamentação; compartilhamento de materiais cortantes; uso de utensílios materiais médicos e odontológicos sem esterilização.

Hepatite E

Causada pelo vírus E (VHE), a hepatite E raramente afeta brasileiros. Ela é disseminada por água ou comida contaminada, do mesmo modo que a hepatite A.

Hepatite alcoólica e autoimune

A hepatite alcoólica surge devido ao consumo excessivo de álcool, causando, assim, insuficiência hepática ou cirrose em casos graves.

Já a hepatite autoimune acontece quando o sistema imunológico passa a atacar as células do fígado por uma causa ainda não totalmente descoberta pela medicina, embora alguns especialistas apontem para fatores genéticos e ambientais.

Hepatite durante a gravidez

O Dr. Felipe Colto afirma que “alguns tipos de hepatite são transmitidas de mães para filhos, seja durante a gravidez, no parto ou pela amamentação. No entanto, caso a mãe possua a doença, a criança pode ser vacinada nas 12 primeiras horas de vida contra a hepatite B”.

Dessa forma, a amamentação feita pela mãe com hepatite pode acontecer sem risco de infectar o bebê.

Sintomas da hepatite

Mesmo tendo tipos diferentes, os sintomas de hepatite são muito parecidos. Confira a seguir:

  • Hepatite A: não possui sintomas muito fortes e geralmente são comuns, como cansaço, tontura, enjoo, vômito, febre, pele e olhos amarelados, urina bem escura e fezes claras;
  • Hepatite B: cansaço, tontura, enjoo, vômito, perda de apetite, febre, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Pode ser só descoberta alguns anos depois da infecção, quando evolui para um quadro crônico;
  • Hepatite C: os sintomas de hepatite C são bem raros, além dos citados acima (presentes na A e B), podem surgir coceira dor e inchaço abdominal, perda de peso e sangramento no esôfago ou estômago;
  • Hepatite D e E: raramente têm sintomas, mas, quando apresentam, são os mesmos citados acima;
  • Hepatite alcoólica: além dos citados acima, pode ocorrer dor abdominal do lado direito,
  • Hepatite autoimune: dor nas articulações, inchaço na barriga e os mesmos sintomas citados nos tipos acima.

Como a hepatite é diagnosticada e tratada

Se não forem tratados, alguns tipos de hepatite podem ocasionar um processo de destruição do fígado, insuficiência hepática ou cirrose.

Para a hepatite D causar problemas de saúde, ela depende de algumas variações. Por exemplo, se a pessoa já possui hepatite B. Caso tenha, ela pode desenvolver cirrose. Infelizmente, não há tratamento específico, mas é recomendado uma alimentação leve e a proibição do consumo de bebida alcoólica.

A hepatite A pode ser identificada por exames de sangue, e seu tratamento consiste em uma vida sem o consumo de álcool. “Para evitá-la, além da vacina, a dica é ter relações sexuais com proteção, ter uma boa higienização das mãos e evitar consumir alimentos mal cozidos”, recomenda o Dr. Felipe Folco.

O exame de sangue também identifica se o que a pessoa está sentindo são sintomas de hepatite B. Caso sejam, o tratamento consiste no uso de medicamentos antivirais amenizando os sintomas que podem acompanhar a pessoa por toda a vida. Para se prevenir, existe a vacina contra hepatite B.

No caso da hepatite C, o que vai detectá-la é o exame de biópsia hepática e de biologia molecular. Ainda não existe vacina para esse tipo da doença, mas ela pode ser curada com o uso de uma combinação de antivirais.

Por fim, a hepatite E também pode ser identificada por um exame de sangue e, dependendo do quadro, o médico pode indicar como tratamento a proibição de bebida alcoólica e a adesão de uma dieta com pouco gordura.

Consulte sempre um médico

Por ser uma doença silenciosa e de sintomas comuns, é muito importante realizar visitas frequentes ao médico. Apenas esse profissional poderá fornecer diagnósticos e tratamentos adequados para você e sua família.

De acordo com o Dr. Felipe Colto, para evitar a hepatite, além das vacinas, é recomendado “cuidados ao utilizar objetos cortantes compartilhados, itens de higiene e uso pessoal, higienização das mãos e alimentos antes das refeições e relações sexuais com a devida proteção”.

Além de tudo isso, lembre-se: exames regulares fazem parte de um cuidado essencial com sua saúde. Para ter uma melhor qualidade de vida, agende seu exame na Comigo Saúde!