Você sabe o que é diabetes? Ela é uma doença silenciosa, que ocorre quando o pâncreas não produz insulina o suficiente, ou quando o corpo tem dificuldade em assimilar esse hormônio.

Muitas palavras complicadas, não é mesmo? Mas calma, é normal que muitas pessoas tenham dúvidas sobre a diabetes, seus tipos, forma de identificar etc. Por isso, preparei para você uma guia explicando direitinho os principais detalhes sobre essa doença. Que tal continuar a leitura para saber mais?

Quais os tipos de diabetes?

Temos dois principais tipos de diabetes, o tipo 1 e o tipo 2. No primeiro, o que ocorre é que o pâncreas perde a capacidade de produzir o hormônio insulina na quantidade que o corpo necessita.

A diabetes tipo 1 costuma surgir na infância ou na adolescência, além de ser uma doença crônica e autoimune – ou seja, não tem cura, e é causada por um desequilíbrio de origem desconhecida no sistema imunológico. Cerca de 10% dos diabéticos apresentam o tipo 1.

O tratamento para controlar a doença é feito com reposição de insulina por meio de injeções que são aplicadas pela própria pessoa periodicamente.

Já o tipo 2 ocorre quando há uma combinação de fatores, em geral predisposição genética e um estilo de vida sedentário, com alta taxa de ingestão de açucares, obesidade etc.

O tipo 2 é o mais comum e costuma surgir após os 35 anos, quando ocorre tanto uma redução na produção de insulina como problemas na sua ação, que levam o organismo a criar resistência a esse hormônio.

Ele também pode ser controlado com medicação, mas com o tempo a doença costuma se agravar, por isso, além do tratamento, é fundamental fazer check-ups periódicos e manter uma alimentação equilibrada.

A diabetes apresenta sintomas?

Conforme explicado acima, a diabetes costuma ser uma doença silenciosa. No entanto, a do tipo 2 às vezes apresenta alguns sintomas. Lembre-se que, para confirmar a presença da doença, é necessário fazer um exame de sangue.

Confira quais são os sintomas que podem surgir:

  • boca seca constantemente e aumento da sede;
  • maior necessidade de urinar;
  • visão turva;
  • formigamento nas mãos e nos pés;
  • infecções frequentes;
  • cansaço mesmo após noites bem-dormidas;
  • cicatrização mais lenta.

É importante observar o conjunto de sintomas, pois um deles isolado dificilmente indica algo de errado. Lembre-se de que a temperatura, a prática de exercícios e o uso de algumas medicações podem causar mais sede, por isso, esse sintoma deve ser observado em conjunto com outros.

A diabetes tipo 2 é adquirida de acordo com a disposição genética e os hábitos do indivíduo. Por isso, quando há um desequilíbrio, o corpo tenta diluir os altos níveis de açúcar do sangue, o que causa a vontade de beber água com mais frequência.

Pelo mesmo princípio de equilibrar o açúcar do sangue, o corpo também tenta eliminar o excesso de glicose através da urina. Por isso, as idas ao banheiro se tornam mais frequentes, mesmo que você não aumente o consumo de líquidos.

Como saber se você desenvolveu diabetes?

A forma mais simples e precisa de descobrir a diabetes é através de um exame de sangue. O endocrinologista ou clínico geral fará uma análise dos valores apresentados para saber se você está diabético.

Isso porque existe uma condição conhecida como pré-diabetes, que é quando a pessoa apresenta uma taxa de glicemia mais alta do que seria o normal, mas ainda não desenvolveu a doença.

A pré-diabetes não é uma doença, e sim um estágio de risco de acabar se tornando realmente diabético. Considera-se pré-diabético quem apresenta uma glicemia de jejum entre 100 mg/dl e 125 mg/dl. Os valores normais são de 77 mg/dl a 99 mg/dl, e os valores que acusam diabetes ficam acima dos 140 mg/dl.

Quem está pré-diabético deve redobrar os cuidados com a alimentação e estilo de vida, iniciando um tratamento junto ao endocrinologista se necessário. Isso porque é possível reverter este quadro em alguns meses, voltando a apresentar valores normais.

A pré-diabetes não apresenta sintomas, por isso, se você tem propensão genética a esta doença ou ganhou muito peso recentemente, procure um médico para tirar a dúvida.

Também há uma condição temporária chamada diabetes gestacional, que é quando a mulher apresenta uma taxa muito alta de glicemia de jejum durante a gravidez. Quase sempre, esses valores diminuem após o nascimento do bebê, porém é preciso fazer um acompanhamento médico para minimizar riscos à saúde na hora do parto.

A glicemia de jejum é o principal indicativo da suspeita de diabetes, mas não é o único. Para compreender qual é o problema em caso de alterações no exame, também é preciso avaliar a curva glicêmica e a hemoglobina glicada.

A hemoglobina glicada indica se há hipoglicemia a médio prazo, enquanto a curva glicêmica mostra qual é a velocidade de absorção da glicose pelo organismo. Se ela fica abaixo do valor ideal, há um indicativo de que a quantidade de insulina produzida pelo corpo não está sendo suficiente.

Tanto a curva glicêmica quanto a hemoglobina glicada são obtidas através de um exame de sangue completo.

Como prevenir e tratar a diabetes?

A diabetes tipo 1 não pode ser prevenida, pois decorre de uma falha no funcionamento do próprio organismo, e é tratada com reposição de insulina. As injeções são diárias e depois deve ser feita a medição do nível de glicose no sangue com um pequeno aparelho chamado glicosímetro.

Já a diabetes tipo 2, que representa a grande maioria dos casos da doença, pode ser prevenida e controlada através de uma alimentação saudável, moderada em açúcar. Quando digo açúcar, quero dizer todos os tipos de açúcares, inclusive aqueles que estão presentes em frutas, batata, arroz, farinha de trigo, pães etc. o problema não são somente as sobremesas, viu?

Os exercícios físicos também são muito importantes para prevenir e controlar a diabetes, pois queimam gordura. A gordura acumulada no corpo é proveniente principalmente de carboidratos, e os açucares são da família dos carboidratos.

Tenha em mente que a diabetes é uma condição que atinge muitas pessoas e, com os devidos cuidados, é possível ter uma vida muito próxima do “normal”. Diabéticos ainda podem consumir sobremesas e outros carboidratos, só devem reduzir bastante as quantidades!

Agora que você sabe o que é diabetes e já consegue identificar uma possível diabetes desde o início, é fundamental fazer exames de sangue periódicos. Por isso, que tal entrar em contato com a Comigo agora mesmo e marcar o seu horário?