As consultas de rotina são importantes meios para manter a saúde em dia, identificar possíveis problemas e cuidar do bem-estar geral. Por isso, quando você recorre ao médico por suspeitar de algum problema ou para realizar um check-up, passa a ter contato com uma série de testes e exames.

O ultrassom é um dos mais solicitados para avaliar as condições dos órgãos e os tecidos do corpo. Também conhecido como ultrassonografia ou ecografia, tem particularidades que o diferenciam de outros métodos de diagnóstico. Mas será que toda pessoa pode se beneficiar com esse tipo de exame?

Para descobrir a resposta e conferir mais informações sobre o assunto, leia este conteúdo. Nele, explicarei o que é ultrassom, como funciona e suas principais utilidades! Não perca!

O que é ultrassom?

Trata-se de um método de diagnóstico por imagem — assim como a radiografia, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética. Sua principal diferença em relação a outros procedimentos está no fato de não empregar radiação ionizante, o que faz dele um exame não invasivo.

O ultrassom funciona por meio do transdutor, um aparelho que lança ondas sonoras de baixa ou alta frequência sobre a região a ser analisada. Tal processo gera imagens em 2D e 3D que podem ser interpretadas pelo profissional responsável.

A partir de manchas em tons de cinza, o médico consegue identificar lesões, presença de líquidos e outras alterações na estrutura de órgãos e de tecidos moles.

A história e curiosidades

O ultrassom passou a ser usado na medicina durante a 2ª Guerra Mundial, mais especificamente em 1940. A primeira pessoa a empregar o método foi o neurologista austríaco Karl Theodore Dussik, com base em seus estudos para localizar tumores e verificar o tamanho dos ventrículos cerebrais.

A partir de 1950, outros nomes contribuiriam para a difusão do método: John Reid, John Wild, José Holmes, Douglas Howry e Dorothy Howry. A técnica pioneira exigia que os pacientes ficassem submersos e imóveis dentro de uma banheira cheia de água. Era um procedimento que produzia imagens de baixa resolução.

No fim da década, a água foi substituída por um gel que permitiu aumentar a superfície de contato entre a pele e o transdutor. Em 1966, John Reid, Dennis Watkins e Don Baker desenvolveram o Doppler pulsado, um recurso que possibilitava detectar o fluxo de sangue em diferentes profundidades do coração.

O exame ultrassom hoje

A ultrassonografia evoluiu muito e, hoje, é empregada em praticamente todas as áreas da medicina. Em diferentes regiões do mundo, médicos para adultos e crianças tiram proveito da versatilidade do método. Por fornecer imagens em tempo real, o exame ajuda a prevenir doenças, a diagnosticar problemas no organismo e a controlar lesões que estão em processo de tratamento.

Devido ao baixo custo e à praticidade no uso, o ultrassom pode ser encontrado nas principais clínicas, casas de saúde e hospitais. Inclusive, existem várias modalidades de ecografia, cada uma com aplicações e finalidades específicas, sobre as quais falarei adiante.

Quais são as funções do ultrassom?

Como dito, o exame permite visualizar e diferenciar órgãos de outras estruturas. Isso faz com que seja bastante útil na hora de diagnosticar e acompanhar uma série de condições. Para você ter uma ideia, a partir do ultrassom, o médico consegue:

  • estudar o movimento de estruturas corporais;
  • identificar inchaço ou presença de inflamações em órgãos (com acúmulo de sangue, pus ou líquidos);
  • observar lesões em músculos e tecidos que compõem a parede abdominal (hérnias e abscessos, por exemplo);
  • encontrar possíveis variações de anatomia que possam comprometer o funcionamento de determinados aparelhos (como o excretor ou o reprodutor);
  • avaliar o estreitamento de vasos, estenoses de artérias e o fluxo de sangue para órgãos vitais;
  • investigar doenças presentes em diferentes regiões do corpo (como o aumento da gordura no fígado);
  • localizar tumores, nódulos, cistos ou massas na região do abdômen;
  • verificar a presença de cálculos na vesícula biliar, nos rins ou nas vias urinárias;
  • captar os batimentos cardíacos e o movimento dos pulmões de fetos;
  • diagnosticar a gravidez e acompanhar o desenvolvimento do bebê.

Essas são apenas algumas das ações possibilitadas com um aparelho de ultrassonografia. Portanto, as chances de uma pessoa fazer uso desse método ao consultar um médico são grandes.

O procedimento

Uma consulta para realizar um ultrassom costuma durar, em média, 30 minutos. O tempo total varia de acordo com o objetivo do exame e com a forma de aplicação. Tudo é realizado na própria clínica ou em um laboratório, de forma simples.

Para começar, o paciente é orientado a deitar sobre uma maca para que fique confortável. O médico responsável aplica um gel sobre a pele e também no transdutor (sonda). Esse aparelho é posicionado na região a ser avaliada e, então, movido de modo que permita investigar a área por completo.

Durante o procedimento, as ondas sonoras passam pelo corpo e seus ecos são captados e interpretados por um computador. Esse transforma os sinais em fotos ou vídeos que costumam ser transmitidos em uma tela, na qual médico e paciente conseguem verificar as imagens assim que são produzidas.

Como o resultado da ecografia é imediato, muitas pessoas conseguem ter uma resposta rápida do exame. Vários médicos aproveitam essa agilidade para informar o paciente sobre a situação. Se for necessário, guardam as imagens para avaliá-las em um momento posterior, a fim de investigar cada detalhe e oferecer um diagnóstico preciso.

O ultrassom é só para grávidas?

Com tantas aplicações citadas, fica fácil perceber que o exame não se destina apenas às gestantes. É fato que ele é mais popular nesse grupo — tanto que muitas pessoas só entendem o que é ultrassom e o seu funcionamento quando descobrem uma gravidez ou passam a conviver com a futura mãe.

Portanto, ainda que seja fundamental nos cuidados com a saúde da mulher e dos bebês, a ultrassonografia tem outras utilidades. É um exame que substitui ou complementa vários testes, podendo ser realizado por diferentes indivíduos, independentemente do sexo ou da idade.

Atualmente, a ultrassonografia gestacional é um dos instrumentos mais importantes para garantir uma gravidez tranquila. Seu uso permite descobrir a idade e o sexo do bebê, rastrear anomalias cromossômicas e identificar possíveis malformações. Por captar detalhes do útero e do feto, torna-se um aliado do médico que precisa acompanhar o desenvolvimento da criança.

Em quais partes do corpo o exame pode ser realizado?

O ultrassom é muito amplo em suas aplicações. Graças ao aprimoramento constante dos equipamentos e à evolução da informática, os médicos já podem utilizar esse método de diagnóstico em diversas partes do corpo.

As possibilidades são tantas que existem transdutores específicos para cada área: linear para examinar órgãos externos (superficiais), convexo para examinar órgãos internos, Doppler para medir a velocidade do sangue, entre outros modelos.

São todos aparelhos modernos que se acomodam facilmente ao corpo do paciente. A seguir, coloquei alguns exemplos de órgãos e membros que podem ser avaliados por meio de ultrassonografia.

Abdômen

A ecografia de abdômen serve para visualizar órgãos, como fígado, vesícula biliar, pâncreas, rins, baço, tubo digestivo, cavidade pélvica, bexiga e grandes vasos.

Articulações

O exame auxilia no diagnóstico de doenças articulares em algumas regiões, como joelhos, tornozelos, ombros, cotovelos, punhos e quadris.

Coração

Realizada pelo cardiologista, a ecocardiografia serve para identificar doenças anatômicas e funcionais do coração (valvas, paredes e cavidades), dos vasos e adjacentes desse órgão (veias cavas, veias pulmonares, artéria aorta e artéria pulmonar).

Glândulas salivares

O ultrassom possibilita ao médico conferir a saúde geral das glândulas presentes na boca e na garganta (parótidas, submandibulares e sublinguais).

Olhos

Facilita a identificação de doenças do globo ocular (retina, coroide, nervo óptico, cristalino, câmara anterior e posterior). Também fornece detalhes dos anexos oculares e da cavidade e parede orbitária.

Pescoço

A ultrassonografia cervical tem como objetivo avaliar as glândulas presentes na região do pescoço e demais tecidos.

Bolsas testiculares

Nessas regiões, o aparelho permite observar doenças dos testículos, dos cordões espermáticos, dos epidídimos e das cavidades testiculares.

Pele

É possível identificar doenças primárias e secundárias da pele (derme, epiderme, tecido subcutâneo e anexos).

Pelve

O ultrassom pélvico via abdominal fornece detalhes dos órgãos internos do aparelho genital feminino (útero, ovários, vagina, tubas uterinas e ligamentos). Também facilita a identificação de doenças em órgãos adjacentes, como bexiga, uretra, intestino e cavidade pélvica.

Aparelho locomotor

A ultrassonografia ortopédica permite avaliar os músculos, tendões, articulações e partes moles do sistema locomotor.

Próstata

Serve para identificar doenças que costumam acometer os órgãos internos do aparelho genital masculino (próstata, ampolas dos deferentes, vesículas seminais). Também facilita a análise de problemas em órgãos adjacentes, como bexiga, uretra e ureter inferior.

Mamas

Bastante solicitado por ginecologistas, o ultrassom das mamas tem como objetivo avaliar doenças das glândulas mamárias, dos linfonodos axilares e da epiderme mamária. O exame possibilita visualizar caroços sentidos após a apalpação dos seios, a fim de determinar se são nódulos benignos ou malignos.

Nervos periféricos

A ecografia pode ajudar o médico a localizar nervos periféricos, guiando agulhas para bloqueio anestésico, por exemplo. Também possibilita avaliar as doenças desses nervos.

Tireoide

No exame com foco na tireoide, o especialista consegue observar o formato e o tamanho dessa glândula, além de verificar se ela apresenta algum nódulo. O procedimento também pode guiar as biópsias realizadas para a retirada de amostra do tecido, em caso de suspeita de doenças mais graves.

Como funciona o preparo para exames de ultrassom?

O preparo depende do tipo de ultrassonografia, ou seja, da região do corpo que se pretende avaliar. Quem nunca fez não precisa se preocupar, afinal, trata-se de um exame indolor e rápido. Veja, abaixo, as etapas que devem ser cumpridas antes de qualquer atendimento.

Consideração do tipo de exame

Cada modalidade de ultrassom tem suas particularidades. Por isso, converse com seu médico para cumprir todos os cuidados da pré-consulta. Quando o objetivo é verificar a situação dos órgãos localizados na parte superior e inferior do abdômen, por exemplo, a recomendação é que o paciente fique seis horas ou mais em jejum.

Dessa forma, é possível garantir que a vesícula biliar estará adequadamente distendida, além de evitar que resíduos alimentares fiquem entre a parede do abdômen e órgãos mais profundos (como o pâncreas). Também é importante que a bexiga esteja cheia para que algumas partes, como próstata, útero e outros órgãos da região pélvica, possam ser avaliadas.

Em casos como o que acabou de ser citado, alguns médicos podem recomendar que os pacientes bebam bastante água antes do exame — 2 a 4 copos para crianças e 5 a 10 copos para adultos. Assim, ao segurarem a vontade de urinar, estarão com a bexiga cheia para que seus rins, vias urinárias e outros órgãos sejam avaliados.

Verificação da necessidade de outros procedimentos

Algumas ultrassonografias exigem que o paciente tome remédios ou realize procedimentos específicos (como sedação e anestesia). Pessoas que sofrem com excesso de gases, por exemplo, devem ingerir, no dia anterior à consulta, medicamentos que ajudem a reduzir o estufamento da região abdominal.

Outro exame que exige um preparo especial é aquele dedicado ao estudo endovaginal para pesquisa de endometriose profunda. Nesse caso, a paciente pode precisar fazer uso de laxantes e uma lavagem do reto (enema).

Eventuais dúvidas sobre a necessidade de cada procedimento devem ser sempre esclarecidas com o profissional responsável. Esse contato próximo fará toda a diferença nos resultados e na satisfação dos envolvidos.

Uso de roupas confortáveis

A parte do corpo a ser examinada não pode estar coberta por tecidos. Logo, é preferível que o paciente vá até a clínica com roupas leves e confortáveis, que sejam fáceis de tirar e colocar. A orientação vale principalmente para gestantes, já que trocar de peças com a barriga grande pode se tornar desconfortável.

Assim, devem ser evitadas camisas com muitos botões e amarrações, calças apertadas e camadas de blusas/casacos. O excesso de acessórios também prejudica no momento do exame, podendo atrasar o procedimento até que os componentes sejam retirados do corpo — na dúvida, use sempre peças básicas.

O que significam os resultados do exame?

Os vídeos ou fotos capturados pelo aparelho servem de base para a criação de um laudo impresso. Esse documento costuma incluir tanto as imagens quanto as observações do especialista responsável, com dados que descrevem a composição do órgão avaliado.

É comum que, antes do exame, o médico pergunte ao paciente se é a primeira vez que ele realiza o procedimento ou se já o fez em outras clínicas. No segundo caso, os resultados das ecografias anteriores serão comparados com os resultados do procedimento mais recente, a fim de verificar se houve alterações.

A leitura das imagens é feita com base na diferença de cores. Os tons variam entre branco (ossos/tecidos mais sólidos), cinza e preto (tecidos preenchidos). Ainda que as figuras agucem a curiosidade do paciente, vale deixar claro que a interpretação correta do laudo só pode ser feita por um especialista.

Positivo

Às vezes, o laudo indica uma doença, mas apenas o médico tem condições de validá-la. Portanto, quando o resultado do ultrassom for positivo e trouxer a descrição de uma doença, os profissionais já podem implementar a conduta clínica/cirúrgica.

Se, mesmo assim, o resultado for inconsistente, a tendência é que o especialista solicite exames complementares e com melhor abrangência anatômica antes de determinar a existência de um problema. Em todo caso, é fundamental que o paciente cumpra todas as orientações para dar início ao tratamento, fortalecer o sistema imunológico e aumentar as chances de cura da patologia.

Negativo

O laudo com resultado negativo significa que a área examinada não apresenta anormalidades. Porém, assim como no caso de um positivo, nada impede que o médico solicite novos testes e procedimentos para se certificar de que realmente não se trata de um problema a ser tratado.

A orientação para qualquer pessoa leiga é sempre conversar com o profissional responsável. Muitas vezes, surgem preocupações que poderiam ser evitadas com um diálogo rápido no mesmo dia da consulta. Portanto, se você pretende realizar ultrassom algum dia, não hesite em perguntar tudo o que tiver vontade ao seu médico.

Existe alguma contraindicação ao ultrassom?

A ecografia diagnóstica é um método seguro que utiliza ondas sonoras de baixa potência. Não há riscos conhecidos, portanto, não há contraindicação para nenhum grupo. Ainda assim, muitos médicos podem considerar a realização de outros exames com base em informações sobre o estado de saúde do paciente.

De todo modo, se o profissional decidir não fazer o procedimento, significa que sua recusa tem mais caráter preventivo do que impeditivo. Saber disso é importante para não ficar com receio em relação ao método e às alternativas apresentadas pelo especialista — afinal, cada caso é único e deve ser avaliado com cautela.

Indicação

Como você pôde perceber, praticamente toda pessoa pode se submeter a um ultrassom. Logo, ele é indicado quando alguém tem queixas de dores (cólicas menstruais, por exemplo), aumento rápido do volume abdominal (em um período muito curto), presença de algum nódulo (fácil de sentir com a mão), alteração do exame de sangue, entre outros sintomas.

Também é um procedimento eficiente nos cuidados com a saúde das gestantes, sendo indicado durante o pré-natal e em outras fases da gravidez. Nesses casos, é comum que a mulher passe por, pelo menos, quatro ecografias ao longo de nove meses.

Periodicidade

Com exceção de casos em que o próprio médico considera limitar o número de ultrassonografias, não há restrição de frequência. Em outras palavras, o exame pode ser feito quantas vezes forem necessárias, de acordo com a orientação do especialista.

A ausência de perigo explica porque o ultrassom é tão presente em consultas preventivas e no período gestacional. Contudo, existem limitações técnicas. Para que as imagens fiquem nítidas — por exemplo, não deve haver acúmulo de gases entre a pele e o órgão a ser avaliado. Se o controle dessas substâncias não for feito adequadamente, a visualização pode ficar prejudicada.

Além disso, esse tipo de exame não fornece imagens perfeitas das estruturas mais densas e profundas, como é o caso da coluna. Portanto, quando o objetivo é avaliar áreas mais difíceis, o paciente pode ser submetido a outros testes, como a ressonância magnética e a tomografia.

Como escolher a melhor clínica para fazer um exame ultrassom?

A ultrassonografia está entre os procedimentos mais realizados em clínicas, hospitais e laboratórios. Logo, não é difícil ter acesso ao exame que permite diagnosticar uma série de condições. O problema é que nem sempre as pessoas têm tempo para pesquisar lugares e encontrar nomes de confiança.

A correria do dia a dia também dificulta a busca por consultas que proporcionem um melhor custo-benefício. Nessas situações, a pessoa pode pagar mais caro apenas para garantir que seu exame seja realizado no dia e na data prevista, evitando que sintomas e desconfortos se intensifiquem.

Felizmente, existem ferramentas que facilitam a busca por atendimentos de qualidade e com preço acessível a apenas um clique. Estou falando de plataformas, como a Comigo Saúde, uma rede inovadora que reúne os melhores médicos e laboratórios do Brasil em um único lugar.

O objetivo é fazer com que as pessoas consigam agendar suas consultas e realizar exames rapidamente, sem burocracia e sem precisar pagar mensalidade. Por meio do site, é possível ter acesso a profissionais de diversas especialidades, como nutricionistas, ginecologistas, dermatologistas, entre outros.

A utilização é simples: basta selecionar os filtros com base no tipo de exame ou perfil do médico e, então, definir o melhor dia, horário e lugar. A intermediação fica sob responsabilidade da equipe da plataforma, que conta com parceiros nas mais diversas áreas para oferecer o melhor a você.

Vale a pena explorar essa possibilidade sempre que precisar contatar um médico. Além de trabalhar com uma variedade de opções, a Comigo Saúde também permite parcelar os valores, salvar o seu histórico de atendimentos e encontrar o profissional mais adequado ao seu perfil.

E então, o que está esperando para testar essa ferramenta digital? Agora, você já sabe o que é ultrassom e pode tirar proveito do exame em diversas situações. Não se esqueça de que toda ajuda é bem-vinda quando o objetivo é desfrutar de uma vida mais feliz e com propósito.

Para saber mais sobre as funcionalidades da plataforma, entre em contato agora. Ficarei contente em garantir que você tenha uma boa experiência em relação ao serviço.