Alterações em qualquer órgão prejudicam o funcionamento do organismo, causando leves desconfortos ou dores que impactam a rotina. Quando não tratadas com o devido cuidado, essas mudanças podem evoluir para doenças e problemas mais graves. Muitas pessoas, por exemplo, desconhecem os sintomas da tireoide alterada e não sabem quando é a hora de procurar ajuda.

É o seu caso? Se você tem dúvidas sobre isso e quer identificar os sinais para consultar um médico o quanto antes, leia todo o artigo que preparei sobre o assunto!

O que é a tireoide?

Trata-se de uma glândula responsável por produzir hormônios (T3 e T4) que agem em todos os sistemas do corpo. Ela tem forma de borboleta e fica na parte anterior do pescoço, abaixo do pomo-de-adão (gogó). Sua principal função é regular processos metabólicos importantes, além de atuar no crescimento e no desenvolvimento de crianças e adolescentes.

A tireoide é controlada por uma pequena glândula do cérebro (hipófise) e interfere no funcionamento de órgãos, como cérebro, rins, coração e fígado. Também influencia na fertilidade, no ciclo menstrual, no controle do peso, na memória e no estado emocional da pessoa.

Com participação em tantos processos, fica claro que cuidar da saúde da tireoide é fundamental para manter o organismo em equilíbrio. Porém, em alguns casos que envolvem fatores específicos, ela passa a funcionar de maneira inadequada.

As alterações na glândula tendem a fazer com que a produção de hormônios seja maior ou menor que o normal. Em ambos os casos, há risco de o paciente desenvolver doenças que necessitam de abordagens e tratamentos específicos.

Quais são as principais doenças e os sintomas da tireoide?

Inflamações, idade avançada, produção excessiva de hormônios e genética podem contribuir para o surgimento de problemas na tireoide. Veja, abaixo, as principais doenças relacionadas a essa alteração e os sintomas envolvidos.

Hipertireoidismo

Ocorre quando a glândula produz hormônios em excesso. Significa que ela é hiperativa, ou seja, trabalha mais do que deveria. O problema pode ser agudo ou crônico e resultar da ingestão excessiva de iodo, de infecções virais e de tumores presentes em órgãos específicos (como ovários e testículos).

Seus principais sintomas incluem:

  • perda repentina de peso (mesmo com alimentação adequada);
  • taquicardia (mais de 100 batimentos por minuto), palpitações e arritmia;
  • ansiedade, inquietação, nervosismo e irritabilidade;
  • suor excessivo;
  • aumento do apetite;
  • tremor nas mãos e nos dedos;
  • alterações no ciclo menstrual;
  • mudança no funcionamento do intestino;
  • cabelo quebradiço;
  • olhos saltados;
  • diarreia;
  • fadiga e fraqueza muscular;
  • dificuldade para dormir;
  • afilamento da pele;
  • náusea e vômitos;
  • ruborização da pele;
  • coceira geral.

O diagnóstico da doença é realizado a partir de avaliação física detalhada e de exames de sangue que permitam medir os níveis hormonais. O médico também poderá solicitar uma imagem da tireoide para ver sua forma, seu tamanho e a presença de nódulos, bem como um exame para a captação de iodo radioativo que ajude a medir quanto desse elemento a glândula absorve do sangue.

Hipotireoidismo

Ocorre quando a glândula produz hormônios em quantidade insuficiente, ou seja, ela trabalha menos do que deveria. Nesse caso, a causa costuma estar ligada a uma disfunção autoimune. Os principais sintomas são:

  • unhas quebradiças;
  • pele e cabelos secos;
  • queda de cabelo;
  • prisão de ventre;
  • perda de memória;
  • cansaço excessivo;
  • ganho de peso;
  • dores musculares e articulares;
  • frequência cardíaca reduzida;
  • aumento da sensibilidade ao frio;
  • formigamento ou dormência nas mãos;
  • letargia (processos mentais mais lentos);
  • depressão e desânimo;
  • alteração dos ciclos menstruais.

Assim como no caso do hipertireoidismo, a doença pode ser diagnosticada a partir de avaliação física e realização de exames de sangue para dosar os níveis de hormônio estimulante da tireoide (TSH).

Tireoidite

Trata-se de uma inflamação da glândula, geralmente causada por infecções virais ou intoxicações por determinados medicamentos. O problema pode se manifestar de forma aguda, subaguda ou crônica, com sintomas que incluem:

  • dificuldade para engolir;
  • febre;
  • calafrios;
  • dor na região da tireoide.

Na forma silenciosa, a doença se manifesta sem causar dor na glândula. É mais comum em mulheres no período pós-parto.

Bócio

Caracteriza-se pelo aumento do tamanho da glândula e está relacionado à falta de iodo, à formação de nódulos na tireoide e a inflamações. Rouquidão, tosse, sensação de aperto na garganta e dificuldade para respirar estão entre os sinais mais comuns.

Doença de Graves

É uma forma de hipertireoidismo por causas autoimunes. Logo, além dos sintomas citados, pode envolver aumento da glândula, retração palpebral e formação de placas avermelhadas e endurecidas sob a pele.

Câncer da tireoide

Alterações na tireoide, muitas vezes, resultam em nódulos benignos que não causam dores. Porém, se o caroço cresce e muda de formato, vale considerar a possibilidade de câncer na região. Nesses casos, é necessário realizar exames específicos, como a cintilografia de corpo inteiro, a fim de verificar se outras partes do corpo foram afetadas pelo tumor maligno.

Os sintomas desse tipo de câncer incluem inchaço e dor na parte anterior do pescoço, dificuldade para engolir, problemas respiratórios, tosse constante, rouquidão e outras alterações na voz.

Como definir o tratamento adequado?

Os sintomas da tireoide alterada podem ser muito parecidos com os de outras doenças. Logo, sempre que o seu corpo enviar sinais, como os que foram citados, anote-os em um caderno para levar à consulta. Registre o que está sentindo, o dia em que os sintomas apareceram e qual é a intensidade de cada um.

Com base nesses dados, o médico solicitará exames para identificar o tipo de problema e definir a melhor abordagem. O tratamento pode incluir apenas acompanhamento clínico, como também o uso de remédios ou iodoterapia. Em casos mais graves, como câncer, pode ser necessária a cirurgia para remover tumores ou, até mesmo, a radioterapia.

Você tem a opção de falar com um clínico geral ou buscar atendimento em ambientes que trabalhem com as principais especialidades médicas. O profissional mais indicado para diagnosticar e tratar distúrbios da tireoide é o endocrinologista, portanto, agende uma consulta com a pessoa certa.

E então, já conhecia alguns dos sintomas da tireoide alterada? Lembre-se de que apenas um especialista é capaz de confirmar a existência de alguma enfermidade. Portanto, ao sentir qualquer desconforto, não se precipite e faça os exames necessários para dormir livre de preocupações.

Ainda não me segue nas redes sociais? Faça uma visita aos perfis no Instagram, no Facebook e no LinkedIn para acompanhar as próximas publicações!